VidCon 2018 | Day 2 – Melhores práticas, Watch Journey e seguidores falsos

VidCon 2018 | Day 2 – Melhores práticas, Watch Journey e seguidores falsos

O segundo dia da VidCon 2018 começou com LinkedIn e como atuar como criador em uma plataforma profissional. String Nguyen falou sobre alguns princípios para criar uma marca forte por lá que inclui: visão, valores, visual e validação. Eu ainda adicionaria um ponto importante aqui sobre gestão de comunidade, como qualquer plataforma social.
Segui para uma apresentação rica em dados sobre o consumo de conteúdo em vídeo pela geração Y apresentada por Mike Vorhaus: Alguns dos mais importantes:

65% dos adultos de 18 a 34 anos assistem vídeos online pelo menos uma vez por dia;
48% dos adultos assistem vídeo online no PC ou no Smartphone;
61% diminuíram drasticamente os pacotes de TV a cabo para assinar serviços de streaming combinados;
37% do adultos assistem transmissões ao vivo pelo menos uma vez por semana;
Youtube e Facebook estão no topo de plataformas preferidas para assistir Lives;

Se você ainda tinha dúvida sobre os adultos não estarem no YouTube, não tem mais desculpas 😉

Logo depois assisti uma apresentação do sempre impecável Matthew Patrick sobre a “Watch Journey”, para explicar como os “Search Viewers” se comportam no YouTube. Chamo assim aquelas pessoas (adultos principalmente) que recorrem ao YouTube para descobrir coisas e não porque se inscrevem nos canais. São pessoas motivadas pelo interesse do momento e que buscam o que querem assistir, mesmo que ela já conheça um determinado canal.
Ao falar da psicologia do “Watch Journey“, MatPat fala dos fatores que influenciam o view em um vídeo e não em outro aplicados em especial Capa, Título e Descrição.

Sobre as capas eles cita como as pessoas fazem a leitura das imagem na mesma ordem como leem um livro começando do alto da direita para a esquerda e sobre a relação psicológica do poder dos rostos nas capas dos vídeos. Ao falar dos títulos o que eles testaram e está funcionando bem são as perguntas, as listas e os superlativos. Por fim no conteúdo o recado é simples e direto: diga o que realmente as pessoas encontrarão no vídeo.

Logo depois uma das pessoas que eu mais admiro quando o assunto é métrica que é a Gwen Miller da Kin Community. A começar com o nome da apresentação: como encontrar as suas próprias melhores práticas. Ela repassou muitas métricas apresentadas no ano passado, além de introduziu novos modelos para mensurar resultados com vídeo online, uma delas é sobre a retenção x definição do LTV (Lifetime Value) e tam’bem uma métrica importante para quem tem muitos “Search viewers“que é a Library Views, tornando ainda mais madura as métricas usadas para acompanhar resultados com criadores.

Mês que vem a gente vai lançar um e-book de métricas para vocês acompanharem os resultados com vídeo online como a gente faz com as nossas marcas.

Em um debate entre agentes, criadores e agências, a direção para o mercado de influenciadores e criadores a partir de agora ficou muito claro:

“Nós incentivamos por anos que um criador ou influenciador bom era quem tinha muitos seguidores. Foi nossa culpa. E nós agora entendemos que criadores que possuem comunidades fortes são muito mais interessantes do que números de seguidores.” Sarah Weichel

Para fechar o evento, se falou muito em vários debates sobre seguidores falsos, fortalecimento da comunidade em detrimento do número de seguidores. Esse debate já amadureceu muito nos Estados Unidos e vem crescendo também aqui no Brasil, especialmente quando o assunto é resultado. Marcas mais maduras já estão mudando sua estratégia com influenciadores para trabalhos mais consistentes que combinam performance e posicionamento, entregando resultados mais interessante do que impacto.

No sábado rolaram algumas apresentações, mas foram bem mais focada em quem tá começando, porém eu assisti uma apresentação de um app chamado Live.me, que faz transmissões ao vivo e você pode receber dinheiro por isso da sua audiência. A apresentação pirotécnica me deixou bem confusa sobre alguns caminhos que as plataformas estão tomando para fazer dinheiro, sabe? Mas vou pesquisar mais e trago um post só sobre lives em outro momento!

A cobertura fica por aqui! E em 2019 tem mais! Para ver tudo que foi postado sobre a VidCon 2018 é só clicar aqui! 

Obrigada pela companhia, gente!

Escrito por el / 113 Visualizações

Sin Comentarios

Por favor publique un comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *